CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER

CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER
Cerro Largo Futsal/Lojas Becker -Série Bronze 2017

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

PATO QUER ADEUS COM TITULO MUNDIAL PELO INTER.

A última semana com luvas: Abbondanzieri prepara o adeus

Mito do Boca Juniors, atual reserva do Inter quer descansar e espera aproveitar mais a paixão pelo automobilismo

Por Alexandre Alliatti
Direto de Abu Dhabi, Emirados Árabes

Adeus ao gol, amigo dos últimos anos:

Roberto Carlos Abbondanzieri, 38 anos, será um ex-jogador no final da tarde do próximo sábado. Ele usará as pernas tortas que lhe renderam o apelido de Pato para atividades que não mais ocorrerão em um campo de futebol. Ele passará as noites de sábado com a família, não mais trancafiado em um hotel. Ele tomará sua cerveja argentina e comerá aquela boa carne saída do Pampa sem mais se preocupar com a barriguinha gerada por elas, porque Pato Abbondanzieri, no sábado, deixará de ser um goleiro profissional. Um dos maiores mitos da história do Boca Juniors, hoje reserva do Inter, ele vive sua última semana com luvas.

Pato prefere nem pensar muito no assunto. Ele tenta deixar o tempo passar como se fosse mais uma semana, como se não fosse a última, como se não tivesse a certeza de que uma nova realidade vai gritar na cara dele em breve. O que fazer com o tempo livre? Como viver mais longe da fama? Como mudar tão radicalmente da noite para o dia? Ele ainda não tem as respostas.

- Estou ansioso, porque estou terminando minha carreira. São os últimos dias. Tenho essa ansiedade para ver como vai terminar. Espero que acabe da melhor maneira, com mais um título. Estou desfrutando essa última semana. Falta só uma semana... São dois jogos... Ah, trato de não lembrar muito disso, de não pensar. Tento aproveitar o dia a dia, saber que isso vai passar muito rápido, que vai acabar. Cada treinamento que faço, faço da melhor maneira. Estou alegre por estar aqui.

Abbondanzieri usará as pernas para acelerar fundo. O futebol impediu que ele mergulhasse mais no automobilismo, uma de suas maiores paixões. Nos tempos de Boca Juniors, ele corria escondido do clube. Era impedido de brincar de piloto por contrato. Agora, é um caminho natural que aproveite mais o prazer que a velocidade lhe proporciona.

- Por enquanto, quero descansar. Vamos ver o que vai acontecer em um ou dois meses. Vamos ver como vai a vida. Quando um jogador para de jogar, por estar acostumado a treinar todo dia, ele não sabe o que vai acontecer. Parar um dia, de súbito, pode ser f... Vamos ver o que acontece. Vamos ver se posso fazer algo de que gosto, o automobilismo, algo assim. Vamos com calma. Primeiro, quero descansar, ficar com minha família, com meu pai, com minha mãe, porque faz tempo que não fico com eles – disse Pato.

- Gosto muito de automobilismo. Sempre fiz por baixo dos panos. Agora, eu posso falar, mas no Boca eu era proibido, por contrato, por questões de segurança, de publicidade. Gosto muito – completou ele.

Abbondanzieri formou, com D'Ale e Guiñazu, o trio argentino campeão da Libertadores com o Inter.

O goleiro garante que levará, pelo resto da vida, as melhores lembranças possíveis do Inter. Ele dá sinais de que foi muito feliz no Beira-Rio.

- Levo o melhor. Foi o time que me deu a oportunidade de jogar outra Libertadores, de disputar outro Mundial. Tenho um agradecimento à torcida, a todos os colorados. Sendo argentino, me receberam muito bem. Vou sempre lembrar disso. Passei um ano espetacular. A verdade é que é algo para não se esquecer.

Pato Abbondanzieri encerra a carreira recheado de conquistas. Pelo Boca, foram três Libertadores, dois Mundiais, duas Sul-Americanas, uma Recopa e seis edições do Campeonato Argentino. No Inter, já tem uma Libertadores. No sábado, ao pendurar as luvas, espera repetir o que mais fez na vida: se aproximar de uma taça, segurá-la com as duas mãos e erguê-la aos céus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário