CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER

CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER
Cerro Largo Futsal/Lojas Becker -Série Bronze 2017

sexta-feira, 8 de abril de 2011

CELSO ROTH REVIVE INCERTEZAS DE FOSSATI.


Em meio à caminhada na Libertadores, técnico não tem garantias de permanência.
 Torcida faz pressão

Por GLOBOESPORTE.COM -Porto Alegre


Celso Roth tem garantias apenas momentâneas.

Houve um momento no ano passado em que o técnico uruguaio Jorge Fossati disse
que precisaria refletir sobre se valia a pena seguir no Inter,
tamanha era a incerteza que o rondava.
E nem houve tempo para muita reflexão.
 O clube agiu primeiro e decidiu demiti-lo, mas com a segurança da classificação
 para as semifinais da Libertadores.
 Seu substituto foi Celso Roth, que, ironicamente, vive situação parecida em 2011.
 O técnico não tem garantias de que comandará o Inter nas etapas de mata-mata
da competição que conquistou na temporada passada.

A batata de Celso Roth assa desde a perda do Mundial.
 Um dia depois da derrota para o Mazembe, a saída dele era praticamente certa em Abu Dhabi.
Mas a intervenção de Fernando Carvalho, na época vice-presidente de futebol,
e a falta de opções no mercado renderam a permanência do treinador.
Porém, ele iniciou o ano com resistência interna, dentro da própria diretoria.
 Não significa que ele seja visto como mau treinador. Longe disso.
A questão é que pairam dúvidas, no clube, sobre ele ser o técnico
 mais adequado para o momento colorado.

Roth tem apenas duas derrotas na temporada.
Mas o mau momento do time preocupa.
 São empates sequenciais no Gauchão, aliados ao insucesso contra o Jaguares.
Aumentou a pressão da torcida, e tudo que a diretoria garante é uma permanência “momentânea”
do treinador, conforme o vice-presidente de futebol do clube gaúcho,
 Roberto Siegmann,
evidenciou em entrevista para a Rádio Bandeirantes.
 Questionado sobre a permanência do técnico, ele tangenciou e disse que seria importante
primeiro classificar e depois analisar o que acontece.
A exemplo do que ocorreu com Fossati, a classificação pode ser a senha para a saída de Roth.


O Inter não tem dúvidas de que tem um elenco qualificado.
E se questiona sobre os porquês de a qualidade por vezes não ficar tão evidenciada.
 O presidente do clube, Giovanni Luigi, diagnosticou que o time não tem conseguido superar retrancas.
Siegmann, contra o Jaguares, viu problemas inclusive no comportamento da equipe,
uma reclamação também de boa parte da torcida.

Celso Roth admite que a atuação foi muito ruim no México.
Mas vê o rendimento como exceção.

- Isso foi um jogo. Não é nosso modelo, não é o time, não são os jogadores.
 É um jogo em que não fomos bem – disse o treinador.

O próximo jogo do Inter pela Libertadores é no dia 19, no Beira-Rio, contra o Emelec.
Um empate basta para o time colorado garantir a classificação.
 A permanência de Roth dependerá do que acontecer com o time colorado no
 Gauchão até lá e do próprio desempenho nessa partida.














Nenhum comentário:

Postar um comentário