CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER

CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER
Cerro Largo Futsal/Lojas Becker -Série Bronze 2017

sábado, 30 de março de 2013

INTER SEGUE SUA VIDA DE NÔMADE.


E lá vai o Inter, seguindo a sua vida nômade.
Neste sábado, a equipe voltará a Novo Hamburgo pela terceira vez no Gauchão. Às 21h, enfrentará o Esportivo e terá mandado mais jogos no Estádio do Vale do que no Centenário, a suposta casa oficial do clube com o Beira-Rio fechado para reformas. A partida desta noite marcará uma espécie de transição para o Inter na temporada, pois será o último jogo antes da estreia na Copa do Brasil - um dos sonhos colorados em 2013.
Somente no Estadual, o elenco principal do Inter viajou 1.505 quilômetros para disputar 12 partidas. A 13ª, contra o São José, foi na zona norte de Porto Alegre. Em um ano diferente para o Inter, soou até estranho a equipe atuando na Capital pela primeira vez. Agora, para a viagem ao Acre, onde o time de Dunga enfrentará o Rio Branco, na quarta-feira, a delegação levará 20 horas, quase um dia, entre ida e volta. Serão mais de oito mil quilômetros de voos, na maior distância percorrida pelo clube desde o começo da Copa do Brasil, em 1989.
– Esta viagem longa, com a necessidade de um bom descanso para os atletas, será mais um problema em um ano atípico no qual tudo conspira contra nós. Jogaremos o ano todo em estádios menores, onde as outras equipes estão mais acostumadas do que a nossa. Sem o Beira-Rio, perdemos a vantagem da pressão – entende o diretor de futebol do Inter Luís César Souto de Moura.
A maratona colorada rumo ao Acre terá início às 17h40min de segunda-feira. De Porto Alegre para Brasília, de Brasília para Rio Branco, a capital acreana. O desembarque está previsto para a 1h de terça-feira. O Acre fica quase na Bolívia. Por sinal, o Estado da região norte foi comprado da Bolívia pelo Brasil. Conforme o Tratado de Petrópolis, de 17 de novembro de 1903, o Brasil recebeu a posse definitiva do território do Acre, cedido pelos bolivianos, em troca de áreas no Mato Grosso, além do pagamento de 2 milhões de libras, mais o compromisso de construir a estrada de ferro Madeira-Mamoré.
– Dez horas de voo é quase como ir à Europa. É claro que haverá algum desgaste físico para os jogadores, que será recuperado com sono e alimentação após as primeiras horas no Acre – comenta o preparador físico Élio Carravetta. – O grupo não pode ter essa preocupação com o desgaste, pois toda a semana pega de duas a três horas de viagem por estrada. E essa será a nossa realidade em 2013. É preciso concentração e disciplina para superar essas maratonas – emenda Carravetta.
Mesmo às vésperas da mais longa das viagens domésticas, Dunga mandará o time titular a campo contra o Esportivo. Uma vitória em Novo Hamburgo encaminha a vaga do Inter às quartas de final da Taça Farroupilha.
*MATÉRIA CLICRBS*

Nenhum comentário:

Postar um comentário