CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER

CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER
Cerro Largo Futsal/Lojas Becker -Série Bronze 2017

terça-feira, 16 de abril de 2013

INTER VOLTA A JOGAR EM CAXIAS.


“Região de Caxias já estava ficando nervosa”, afirma diretor do Inter

Régis Shiba vê possibilidade de jogos em Novo Hamburgo, mas se compromete com Centenário

Inter irá retornar ao Centenário contra o Lajeadense<br /><b>Crédito: </b> Mauro Schaefer / CP Memória
Inter irá retornar ao Centenário contra o Lajeadense
Crédito: Mauro Schaefer / CP Memória
O diretor de administração do Inter, Régis Shiba, garantiu que o Inter honrará o contrato com o Caxias, enviando jogos ao Estádio Centenário – o que os colorados só fizeram duas vezes neste Gauchão. “A região já estava ficando nervosa pelo Inter não jogar lá, mas estamos de volta novamente”, comentou ele, em entrevista à Rádio Guaíba nesta segunda-feira.

Apesar de reclamações de parte do grupo, alegando que o desgaste da viagem até a Serra é maior, o Inter volta a enviar partidas ao Estádio Centenário no próximo domingo, quando encara o Lajeadense pelas quartas de final da Taça Farroupilha. Shiba assegurou as boas relações: “É com muito bons olhos que vemos a novidade de voltar a Caxias do Sul”.

Na tentativa de ter um bom público, o Inter fará uma promoção de ingressos, de acordo com o dirigente. “Os valores devem ser divulgados nos próximos dias para atrair os torcedores da Serra”, afirmou. Em duas partidas como mandante, o Colorado atraiu cerca de 16 mil pessoas às arquibancadas do Centenário – 4,6 mil contra o Esportivo e 11,5 mil no Gre-Nal. O estádio comporta mais de 30 mil torcedores.

Novo Hamburgo com poucas chances

Régis Shiba, porém, admitiu a possibilidade de o Inter encaminhar jogos do Brasileirão a Novo Hamburgo. Desde que alguns requisitos sejam atendidos: “Esta possibilidade existe desde qeu o Estádio do Vale aumente a sua capacidade para 15 mil lugares”, disse. “O presidente Giovanni Luigi já foi bem enfático. O estádio não pode ser aumentado com arquibancadas móveis. Teria de ser uma arquibancada fixa e de concreto”, acrescentou ele. “E o Inter não vai investir nenhum centavo.”

Por causa da falta de estrutura no Vale dos Sinos, o dirigente ressaltou que, ao longo do ano, a casa do Inter deve ficar em Caxias do Sul. “Não há possibilidade de rescindir o contrato (com o Caxias). Este contrato vai até setembro e possivelmente irá renovar por mais alguns meses”, projetou.

*Correio povo*

Nenhum comentário:

Postar um comentário