CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER

CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER
Cerro Largo Futsal/Lojas Becker -Série Bronze 2017

domingo, 17 de junho de 2012

INTER FOI MOÍDO PELO FOGÃO.



Andrezinho rouba a cena na virada de 2x1 pelo fogão.
por ww.clicrbs.com/esportes

Time contava com o retorno de D'Alessandro, Oscar, Damião e Guiñazu, mas sucumbiu ao ímpeto dos cariocas no Beira-Rio

Andrezinho rouba a cena e Inter perde de virada por 2 a 1 para o Botafogo Mauro Vieira/
Andrezinho marcou o primeiro gol do Botafogo no Beira-Rio Foto: Mauro Vieira

Alexandre Ernst

Nem mesmo as estrelas de seleção conseguiram impedir a primeira derrota colorada no Brasileirão. Apático, sem brilho individual e com poucas jogadas de perigo — principalmente no segundo tempo — o Inter de D'Alessandro, Oscar, Damião e Guiñazu perdeu para o Botafogo, de virada, por 2 a 1, no Beira-Rio.

Na noite fria e chuvosa da Capital, o gol de Dagoberto não foi suficiente para segurar o ímpeto carioca, que com finalizações de Andrezinho e Fellype Gabriel, conseguiram a virada na casa colorada. Em uma partida que poderia levar o Inter de volta à vice-liderança do Brasileirão em caso de vitória, a derrota para o time de Oswaldo de Oliveira sacramentou uma das piores atuações do Inter na temporada e, ao final do jogo, Dorival Júnior ouviu fortes vaias da torcida colorada e um coro uníssono com os dizeres "burro, burro".

Primeiro tempo: gol que motiva?
O Inter demorou para se encontrar na primeira etapa. O Botafogo dominava o meio de campo e não deixava o Inter jogar. Vitor Júnior, arredio, ligeiro, levava a defesa do Inter à loucura nos minutos iniciais. Entrava pela direita, às costas de Nei, e Guiñazu e Sandro Silva tinham de cobrir o lateral — que não conseguia subir ao ataque para as melhores jogadas do Inter no jogo.

O time de Dorival Júnior parecia assustado. Era como se estivesse jogando fora de seus domínios e não no Beira-Rio. Começou a organizar-se por volta do minuto 18, quando trocas de passes entre Oscar e D'Alessandro passaram a envolver a zaga e os volantes cariocas. Dagoberto tentava jogadas individuais, uma vez que Damião estava muito bem marcado.

O centroavante colorado tinha de sair da área para buscar a bola e desarrumar a defesa botafoguense. Uma das investidas do centroavante da Seleção deixou o lateral Lennon a ver navios com um lençol. O problema do Inter é que apenas um lateral subia para o ataque: Nei. Com isso, pela esquerda, as jogadas morriam.

Logo, não seria espanto se o gol colorado iniciasse com uma jogada vinda do canto destro. Uma cobrança rápida de falta por Guiñazu encontrou Oscar pela direita. O meia cruzou na cabeça de Leandro Damião — que desta vez estava na área, onde um matador tem de estar. Porém, o atacante do Inter pegou mal na bola. No cabeceio, contou com a sorte ao encontrar Dagoberto centralizado. E o companheiro de ataque teve apenas de empurrar para a rede e abrir o placar no Beira-Rio. E eram jogados 30 minutos do primeiro tempo.

A etapa inicial ainda foi marcada por um chute cruzado de Herrera, que assustou os mais de 15 mil torcedores que estavam no Beira-Rio e deveria alertar os defensores colorados para a pressão do segundo tempo. Deveria.


Segundo tempo: virada e (de novo) gol de ex-colorado
O Inter voltou do vestiário sem brio. Em vez de buscar o segundo gol, recuou e passou a esperar o Botafogo em seu próprio campo. Com isso, o time de Oswaldo de Oliveira se agigantou. E Andrezinho roubou a cena. O camisa 10 do time carioca tomou a partida para si. Não quis saber que D'Alessandro retornava após deixar a lesão na coxa para trás. Que Oscar, Damião e Guiñazu haviam retornado das seleções brasileira e argentina e participado de um dos maiores clássicos do futebol mundial no final de semana passado.

Simplesmente não quis saber. Principalmente quando acertou um canhotaço de fora da área e empatou a partida na Capital. Eram 12 minutos do segundo tempo, o meia dominou a bola na entrada da área e bateu firme, no ângulo, sem chance para Muriel. Diferente de Rafael Sobis, no Brasileirão do ano passado, quando o ex-colorado não comemorou a finalização, Andrezinho foi vibrar com seus companheiros — timidamente, mas festejou, assim como Alex, pelo Corinthians, Iarley, pelo Ceará. É como se todo ídolo do clube tivesse "obrigação" de marcar contra o ex-time.

O gol seria algo normal se o Inter voltasse a se impor, mas não foi o que ocorreu. Ao contrário. Foi o Botafogo que manteve-se bem e foi, aos poucos, deixando o Inter cada vez mais acuado no campo de defesa. E o gol da virada do Botafogo veio aos 27 minutos, com Fellype Gabriel. A partir de uma cobrança de escanteio de quem? De Andrezinho. A defesa colorada deve ter ficado prestando atenção na bandeirinha de escanteio caída pela linha de fundo e não viram o meio-campo do Botafogo subir livre para cabecear o cruzamento do ex-meia do Inter e camisa 10 do Botafogo
.
Agora, o Inter vai para duas partidas fora de casa, contra Sport e Bahia. Após a derrota, o Inter ocupa a sexta colocação do campeonato, podendo cair para décimo ao final da rodada, caso Fluminense, São Paulo e Flamengo vençam seus jogos.

FICHA TÉCNICA
BRASILEIRÃO — 5ª RODADA — 16/6/2012

ESCALAÇÕES:
INTER: Muriel; Nei, Dalton, Índio e Fabrício (Jajá); Sandro Silva, Guiñazú, Oscar e D'Alessandro; Dagoberto e Leandro Damião. Técnico: Dorival Júnior.
BOTAFOGO: Jefferson; Lucas, Brinner, Fábio Ferreira e Lennon; Lucas Zen, Renato, Vitor Júnior (Gabriel), Andrezinho (Doria) e Fellype Gabriel (Maycosuel); Herrera. Técnico: Oswaldo de Oliveira.
Gols: Dagoberto (I), aos 30min do primeiro tempo. Andrezinho (B), aos 12min do segundo tempo, Fellype Gabriel (B), aos 27min do segundo tempo.
Arbitragem: Paulo César Oliveira (FIFA/SP), auxiliado por Vicente Romano Neto (SP) e Herman Brunel Vani (SP)
Cartões amarelos: Vitor Júnior, Fábio Ferreira, Lucas (B), Guiñazu, Nei, Sandro Silva (I)

Nenhum comentário:

Postar um comentário