CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER

CERRO LARGO FUTSAL/LOJAS BECKER
Cerro Largo Futsal/Lojas Becker -Série Bronze 2017

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

GOIÁS AINDA BRIGA PARA PERMANECER NA SÉRIE A.

 O Campeonato Brasileiro não acabou. Pelo menos é o que deseja o Goiás, um dos rebaixados no campo à Série B. A pauta? O 'fair play' financeiro, exigido pelo Estatuto do Torcedor. O clube goiano acionará o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para cobrar a perda de pontos de equipes que não se adequaram à regulamentação. Os goianos garantem até contarem com o apoio do Vasco, outro time relegado à segunda divisão.

Em entrevista à 'Rádio Tupi', o presidente Sérgio Rassi confirmou que o departamento jurídico do Goiás entrará em contato com o tribunal.

"Estamos seguindo a lei. Se este país é serio, tem que cumprir as leis. O Goiás, para se adaptar a este cenário de rigor fiscal, e esta lei está atuante desde agosto, fez um campeonato à pão e água", disse.
"Nós limitamos salários de atletas, temos todas as Certidões Negativas de Débito, estamos rigorosamente em dia com salários, premiações e direitos de imagem, e esse sacrifício tem que valer de alguma coisa. Enquanto clubes gastaram de maneira irresponsável, o Goiás se adequou à lei e vamos atrás dos nossos direitos", acrescentou.

Além de Rassi, a 'Rádio Tupi' também ouviu Eurico Miranda, presidente vascaíno. O mandatário do clube cruz-maltino se mostrou de acordo com a atitude iniciada pelo clube goiano.


"Eu tinha levantado sobre este problema já. A existência dessa lei. Se a lei existe, ela existe para ser cumprida. Dependendo, evidentemente, da maneira como for feita junto à CBF pelo Goiás, estou plenamente de acordo. Não é que eu possa vir ou não a ser beneficiado. Mas a lei é pra ser cumprida", disse.

www.msn.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário